Blog

Foto Rômulo Brasil

O Primeiro Homem: Minhas Impressões

• Publicado em: October 22, 2018

Há quase duas semanas, Bradley Cooper apenas fez uma pré-abertura com o lançamento de Nasce Uma Estrela (A Star Is Born), mas semana passada, Damien Chazelle fez abertura oficial da temporada do Oscar com o ótimo O Primeiro Homem (First Man), que conta a história do primeiro homem que foi a lua, Neil Armstrong.

O filme é mais sobre o Armstrong do que a própria missão em si, mas óbvio que a missão da ida a Lua é o “centro” do filme. Eu gosto muito do Ryan Gosling, acho ele um bom ator, apesar de não achar ele excepcional, mas Neil Armstrong caiu super bem na atuação dele, pois é muito introvertido que é a especialidade dele. hehehe. Não sei se tem força para uma indicação ao Oscar, se tiver vai ser mais por não ter representantes bons os suficientes. Quem manda e desmanda em cena é a Claire Foy, que mulher maravilhosa. Essa sim, detona em todas as cenas em qual atua, o nível é elevado em sua presença.

Damien Chazelle é um dos principais diretores da atualidade e está se mostrando a sua competência com seus três últimos trabalhos com um nível de excelência de altíssimo grau, porém umas das minhas três queixas que tenho do filme vem de sua direção. Uma coisa que eu odeio é planos fechadas com câmeras na mão e ”tremida”, me tira a paciência, eu até entendo a escolha dele por esse tipo câmera, pois deixa mais documental, é a mesma escolha que o Adam McKay fez com A Grande Aposta (The Big Short) que também foi uma das minhas queixas do filme. Uma cena que funciona super bem com esse tipo câmera é o flashback do Neil Armstrong pensando em sua família e brincando com seus filhos, outra cena que é bem empregado esse tipo é dentro das naves.

Tenho mais duas mais queixas do filme, uma é que personagens simplesmente aparecem e somem de cena sem muito explicação, tipo o personagem do Corey Stoll (Buzz Aldrin) que aparece e some e depois aparece e o personagem do Christopher Abbott (Dave Scott) aparece e some sem explicação. E a outra é que a história é contada em uma faixa de tempo de 8 anos, porém ao meu ver é outro erro do Chazelle, ele não escolhe uma fotografia ou montagem diferenciada ou até mesmo o tempo não passa para os principais personagens como o Neil e a Janet Armstrong e Cia. Se ele não colocasse na tela qual ano estávamos, realmente você não notaria a passagem de tempo.

Mesmo com essas minhas três queixas, nenhuma me tiraram do filme e muito menos estraga a experiência de conferir uma obra dessa magnitude que é um dos melhores filmes do ano de 2018 nos cinemas. First Man deve ser indicado a varias categorias no Oscar, principalmente as técnicas, quando você não consegue enxergar a diferença entre o que é CGI e o que é real é porque os caras fizeram um trabalho fodástico. Toda a cena da ida a Lua foi filmada em Imax, juntando com som espetacular do filme a experiência é incrível. Uma coisa que não pode deixar de ser falado em algum filme do Damien Chazelle é a trilha sonora que é brilhante, quando começa a missão da ida para Lua toma proporções épicas que é uma das melhores trilhas desse ano de 2018 também.

Romae