Fragmentado: Minhas Impressões

Foto Rômulo Brasil
• Publicado em: March 28, 2017

Se você é daqueles que acham que o M. Night Shyamalan nunca se perdeu no caminho em sua filmografia e assiste todos aos seus lançamentos e que todos têm seu valor, menos The Last Airbender (O Último Mestre do Ar) que é ruim mesmo e foi merecido o Framboesa de Ouro de 2011 tanto para pior diretor quanto pior filme. Mas Shyamalan tem o inicio de sua carreia como era de ouro, The Sixth Sense (O Sexto Sentido), Unbreakable (Corpo Fechado), Signs (Sinais) e apesar de não gostar muito, The Village (A Vila). Em 2017, temos Split (Fragmentado) que o traz de volta a era de ouro, pois o nível dessa obra é comparado aos lançamentos do inicio de sua carreira.

Fragmentado temos James McAvoy interpretando uma pessoa com Transtorno Dissociativo de Identidade (TDI) com 23 personalidades distintas e ele sequestras três meninas e elas tentam escapar com a personalidade “mais amigável” antes que a personalidade de número 24, A Besta, que é a mais mortal de todas as personalidades, dê as caras. James McAvoy simplesmente destrói ao dar vida a tantas personalidades diferentes, ele deve dar vida ao menos umas 8 personalidades e todas diferentes e notáveis ao longo do filme, é um incrível e magnifico trabalho de ator e quem estava cotado para dar vida a inúmeras facetas do Kevin era o excelente, Joaquin Phoenix, pelo menos na minha opinião, acho que o Phoenix não faria melhor do que McAvoy, pois o McAvoy está brilhante e se entregou de corpo e alma, bom, Phoenix sempre faz isso em todas suas atuações, mas digo isso pelo esforço físico dá personalidade 24, o esforço físico para se tornar A Besta é enorme. O peso de Fragmentado de ser um filme de alto nível está na bela, extraordinária e monstruosa interpretação de James McAvoy, Shyamalan necessitava primordialmente que ele se entregasse ao máximo possível para o filme funcionar. Academia tem que dar no mínimo uma indicação para ele, seria foda.

O elenco principal é bem pequeno e dou destaque para Anya Taylor-Joy que já estava de olho nela pelo o excelente The VVitch (A Bruxa) e o meia boca (mas até que gostei), Morgan. Ela tem futuro e espero que ela não fique presa apenas a um gênero. Um ponto falho do filme é a Dr. Karen Fletcher, vivida por Betty Buckley, ser em algumas vezes uma tremenda de uma incompetente e amadora e ela ainda perde o total senso do perigo.

Shyamalan traz uma de suas melhores fotografias, um roteiro redondo, porém não é perfeito, tem algumas coisas jogadas para resoluções fáceis, principalmente elementos para fuga das meninas e vários flashbacks para explicar apenas um coisa. Ultimamente ele tem feito uma coisa que eu tenho gostado muito que é o passeio entre os gêneros de comédia, terror e suspense e ele tem feito isso com maestria em seus últimos lançamentos, principalmente em The Visit (A Visita) e agora com Fragmentado.

Assim como Tarantino, Shyamalan conecta seus filmes de alguma maneira, bom, isso é uma teoria de muitos de seus fãs, mas em Fragmentado, é feito uma referência direta a Corpo Fechado e colocando Fragmentado no mesmo universo vivido por David Dunn (Bruce Willis) e o Elijah Price (Samuel L. Jackson) mais conhecido como o Sr. Vidro. Esse universo foi batizado como Shyamalan-verse. Hehehe. Então para entender a cena final do filme é interessante você tenha assistido Corpo Fechado para que você possa entender o sentido e especular o que pode ser um filme do David Dunn contra A Besta. Pqp, vai ser foda.

Fragmentado não só está na lista dos #RECOMENDADÍSSIMOS como também é um dos melhores lançamentos de 2017.

Romae