Doutor Estranho: minhas impressões

Foto Rômulo Brasil
• Publicado em: November 3, 2016

dr-estranho

 

Qual é o custo da Marvel propor um filme mais sério e entregar?

A Marvel nunca se arrisca e fica sempre sentada no pudim em todos os seus filmes e em Dr. Estranho não é diferente, porém, é o filme com uma pegada mais séria e com temas mais “adultos” e abordado de uma maneira Marvel de ser.

O começo do filme é livre de firula e você é apresentado ao personagem principal de uma maneira pontual, até que vem o acidente onde ele perde os movimentos das mãos e começa sua busca incessante pela cura/milagre e é aí que ele vai para Catmandu, Nepal e começa realmente a sua jornada/treinamento. Somos apresentados a Anciã, interpretada pela excelentíssima Tilda Swinton, com toda a sua sabedoria “milenar” e ela nos apresenta o multiverso com toda a psicodelia de sequências de imagens espetaculares e é aonde o Scott Derrickson me conquistou nesse filme, um show visual de imagens caleidoscópica projetando uma jornada alucinante, que com certeza, quando ele pensou nessas sequências ele estava sobre efeito de algum ácido (LDC).

Visualmente falando, o filme é impecável tanto nos efeitos visuais, design de figurinos e a direção de arte são de alto nível, se eu fosse apostar em uma indicação para o Oscar seria Efeitos Visuais (isso é uma certeza), pois realmente são de uma perfeição. A Marvel também é conhecida por não emplacar uma trilha sonora marcante em seus filmes, mas Dr. Estranho tem o Michael Giacchino no comando e é um diferencial a trilha e gosto muito das trilhas dele, Lost e Fringe são as mais marcantes pra mim.

Bom, um dos problemas do filme é que ele se propõe a ser sério e tem uma quebra com piadinhas fora de tempo como (SPOILER) a da morte da Anciã e o Dr. Estranho em pleno interpretação impecável do Benedict Cumberbatch e vem a capa para tirar a lagrimas dele, eu faria diferente essa cena e faria do mesmo jeito só que sem a piadinha e o Dr. Estranho aceitando a forma fofa da capa limpar suas lagrimas formando uma nova e grande amizade, ai que fofo hehehe. Se a proposta é um filme mais sério, entrega um filme mais sério ou faz igual como fez em Homem Formiga, um filme de comédia descompromissado.

Outro ponto que a Marvel é muito boa é no quesito vilão, puts, grande desperdiço de ator, pô, se vai cagar o vilão, então não chama Mads Mikkelsen para fazer, pois o cara é de altíssimo nível para ser desperdiçado dessa maneira. Com um desfecho totalmente mal resolvido, pra mim, foi igual como eles fizeram com Guardiões da Galáxia, cagaram o vilão no final e ficou como coito interrompido.

Tilda Swinton e Benedict Cumberbatch nos presenteias com belas atuações e um dos belos diálogos filosófico sobre a sua existência no universo, pena o desfecho da cena tem uma piadinha. Caso for assistir, vá em IMAX, pois sua experiência será completa.

Se fosse dá uma nota, seria 8.

#RECOMENDADÍSSIMO.

 

 

Romae