Blog

Foto Rômulo Brasil

Black Mirror: minhas impressões

• Publicado em: November 2, 2016

black-mirror

Black Mirror sempre esteve na minha lista de séries para ver, só que eu fui sempre dando prioridades para outras séries e quando foi em 2014, ela foi cancelada na segunda temporada e foi aonde eu a tirei da lista. Em 2015, a Netflix, a nossa senhora salvadora de séries canceladas, falou que iria produzir a terceira temporada. Em outubro desse ano, ela lança a série e Black Mirror toma de conta da internet novamente e ela volta para lista e eu dou uma certa prioridade para ver e realmente a série é espetacular, logo de cara no primeiro episódio da primeira temporada, você já tem noção da proposta da série em não alisar o seu expectador e dá vários socos no estômago.

Black Mirror é um tipo de séria que quebra um pouco a cultura da Netflix, pois é uma série que não se deve fazer uma maratona, basicamente tem que ver um episódio por dia, para você parar e pensar sobre e assimilar as criticas e questionamentos proposto em cada episódio. Black Mirror está acima de ser só sobre tecnologias e mídias, mas sim, sobre a desconstrução da sociedade imposta pela tecnologia, comunicação em massa e também o comportamento humano. Se eu fosse professor, eu passaria a série em sala de aula e pediria aos alunos para discutirem sobre o assunto.

Pretendo fazer um ranque de todos os episódios de Black Mirror, sendo do pior para o melhor. Aqui farei isso, mas apenas da terceira temporada e falei do pior para o melhor.

06. Playtest – Versão de Teste (Episódio 2)

Por que Versão de Teste é pior da temporada? Por ser um episódio que não traz a formula de Black Mirror e era para ser um dos melhores da temporada, mas falha em contar uma história intrigante e/ou interessante. O pior é que não traz nenhuma critica profunda aos videogames como ela faz com outras tecnologias.

05. Men Against Fire – Engenharia Reversa (Episódio 5)

Outro episódio que falha no roteiro, antes mesmo de ficar interessante ou querer causar algo um impacto o mistério acaba e ainda tem um plot tomado emprestado do livro/filme The 5th Wave (A quinta onda).

A critica do episódio, podemos dizer que funciona como uma fábula com tema de xenofobia, preconceito e critica social.

04. Shut Up and Dance – Cala a boca e dança (Episódio 3)

Cala a boca e dança tem seu valor, mas para mim peca em alguns quesitos, hoje com a conectividade entre seus dispositivos, hacker nenhum entra no seu notebook e depois ele pede o número do seu celular, pois ele já sabe tudo sobre você. Outro ponto que me incomodou foi facilidade de como Kenny roubou o banco, bom, o banco não ter nenhum segurança na porta e tem uma bela quantidade dinheiro na entrada, não sei se em Londres é tão livre de assaltos para os bancos ser dessa forma, se fosse algo menor como uma mercearia teria sido mais convincente.

A pesar disso, eu gostei desse episódio, você facilmente se coloca no lugar do protagonista e das pessoas que estão sendo coagido pelo hacker a fazer atos desumanos e extremos na tentativa de manter sua identidade/integridade preservada, você fica se perguntando se realmente faria a mesma coisa, caso se encontrasse na mesma situação. Outro ponto que eu gostei, foi o fato de que os Hackers não perdoam e mesmo as pessoas fazendo tudo que ele mandava, não iria adiantar de nada.

Nota (Spoiler): Eu percebi que o Kenny era algo como pedófilo, por se tratar de Black Mirror, a semiótica e o estereótipo é uma das propostas da série, eu me perguntava o porque ele estava fazendo aquilo sendo que parecia que ele estava apenas se masturbando e foi quando eu me liguei que no começo do episódio, ele fica olhando para uma garotinha e pega o brinquedo que ela esquece em cima da mesa.

san

03. San Junipero – San Junipero (Episódio 4)

A partir daqui, entra os episódios que eu adorei de paixão, falando em todos os aspectos, se a Netflix continuasse com uma temporada só com três episódios e colocasse apenas o episódio 1, 4 e 6 seria uma temporada perfeita.

San Junipero é ambientado nos anos 80, mais precisamente no ano de 1987 (ano qual nasci ;p) e talvez seja por isso que eu gostei bastante desse episódio. De inicio, você já ver que foge um pouco o padrão de Black Mirror, que isso é excelente e demora um pouco para abordar o tema da tecnologia, mas o foco mesmo é o companheirismo e uma historia de amor que é o primeiro episódio com final realmente feliz, podemos dizer que esse episódio é uma anomalia em Black Mirror.

Para quem ama os anos 80, se deliciou com o visual retro, cheios de neons coloridos e uma ótima trilha sonora.

02. Hated in the Nation – Odiados pela Nação (Episódio 6)

É nitidamente uma homenagem aos dramas detetive e ainda digo mais. É uma bela e notória homenagem ao clássico de Hitchcock, Os Pássaros. Esse sim, tem como um dos temas ‘Hacker’ que não deixa a desejar e é mais um na temporada que tem ‘Redes Sociais’ como tema central e como o ódio se propaga de maneira impressionante por ela. Por isso foi escolhido abelha como homicidas, pois quando você mexe com uma abelha vem um enxame para lhe atacar, usando essa metáfora com a hashtag #DeathTo (#MorteA) para escolher as vitimas do enxame de ‘haters’. A distopia do episódio, como muitos outros episódios de Black Mirror, se aproxima muito da nossa realidade.

Odiados pela nação fecha a temporada com chave de ouro, aborda temas muito atuais como vigilância, o ato de julgamento das pessoas e o efeito manada das redes socias, pois questiona o cidadão de bem, interrogando uma bondosa professora de pré-escola que adere à histeria coletiva.

nosedive

01. Nosedive – Perdedor (Episódio 1)

Perdedor é outro soco na cara para você acordar sobre como lidamos com redes sociais no nosso dia a dia. Esse episódio, para mim, é o que tem um alto nível de atuação, graças a nossa protagonista Bryce Dallas Howard, que eleva a qualidade do episódio do inicio ao fim.

Essa distopia futura que satiriza a cultura dos gostos e de sua personalidade, tem um roteiro divertido e extremamente inquietante. As formas em que a tecnologia altera o comportamento humano aos poucos, claramente você identifica um pouco da Lacie nos seus amigos de redes sociais e até mesmo em você.

Perdedor vai lhe fazer rever seus conceitos sobre redes sociais e até mesmo querer deletar suas contas nas inúmeras redes sociais em qual você tem conta.

Romae